A Sobrevivência do COBOL no Mercado de TI

A linguagem de programação COBOL, desde sua criação por um comitê de tecnologia, em 1959, passou a ser considerada uma das linguagens mais importantes para se desenvolver sistemas corporativos. Hoje, depois de mais de meio século de existência, ela é ainda está viva e predomina em boa parte dos softwares de grande porte nas empresas.

No começo da década de 1960, uma conferência entre fabricantes de computadores, como IBM, e órgãos governamentais dos EUA, denominada Codasyl (Conference on Data Systems Language) tinha como um dos objetivos criar uma linguagem de programação que pudesse ser utilizada para desenvolver aplicativos para diversos computadores. Como resultado, nasceu a Common Business Oriented Language (COBOL), cujo nome sugere que a principal premissa era o desenvolvimento de sistemas orientados a negócios.

Os sistemas corporativos naquela época eram armazenados em mainframes, máquinas capazes de processar um alto volume de dados em grande velocidade. Ainda que servidores PC e Unix tenham ganhado espaço no mercado, por conta de menores custos de manutenção, os mainframes têm o Cobol sendo executado em várias empresas do segmento financeiro, assim como em indústrias, montadoras, seguradoras, agências governamentais e militares dentre outras.

E o legado? 

Há razões para que várias organizações possuam seu core business rodando em mainframes com Cobol, e não queiram migrar o legado. Algumas que eu posso elencar são:

  • Aumento de custos

Caso a opção seja por migrar o sistema legado, a empresa terá que contratar uma consultoria especializada, como é o caso da Globo. Num cenário de crise atual, onde o budget de projetos é limitado, a preocupação gira em torno dos investimentos prioritários à estratégia da companhia.

Ainda que frameworks modernos sejam mais econômicos, migrar a solução para a nuvem, por exemplo, reduz os custos operacionais, considerando que a manutenção de um mainframe é cara.

  • Complexidade do negócio

Seria necessário reescrever o software em outra linguagem. Para isso, devemos lembrar que o novo sistema deverá ter as mesmas funcionalidades do antigo, implementando suas regras de negócio. Programas complexos com milhões de linhas de código, muitas vezes com pouca ou nenhuma documentação, somada à falta de mão-de-obra de programadores Cobol, se torna um entrave nesse tipo de operação.

  • O sistema está funcionando e atende às necessidades da empresa

Na maioria dos casos, o sistema funciona bem há décadas e não há intenção de migrá-lo para outra plataforma, pelas razões citadas acima. Atualmente, os CIOs procuram reduzir o orçamento sem afetar o desempenho dos sistemas.

 

As aplicações em Cobol são seguras, escaláveis e robustas para suportar grandes operações, o que confere confiabilidade aos clientes. Uma pesquisa da Micro Focus aponta que 95% das transações de caixa eletrônico (ATMs) são processadas com a linguagem. Grande parte dos sistemas críticos também são escritos em Cobol.

A demanda por profissionais capacitados, portanto, é grande. Isso gera boa oferta de emprego, o que valoriza o salário deste tipo de programador. A linguagem perdeu atratividade aos alunos devido à falta de capacitação nas universidades. Segundo a mesma pesquisa, cerca de 73% dos cursos universitários de TI não possuem aulas de programação em Cobol. Particularmente, como estudante eu não aprendi Cobol na faculdade, muito menos conheci alguém que trabalha com essa tecnologia. Entretanto, em Toronto, na universidade de Durham College, os alunos são obrigados a fazer dois anos completos de Cobol.

Enquanto houver a dependência de empresas pelos sistemas rodando em Cobol, a linguagem permanecerá viva. E, sendo assim, a capacitação de pessoal qualificado precisa suprir a necessidade que há no mercado, seja nas universidades ou em empresas de treinamento especializadas.

 

Anúncios

10 Respostas para “A Sobrevivência do COBOL no Mercado de TI

  1. Como Entrar neste mercado?? Alguém aqui trabalha na área?? Caso trabalhe, podeira me dar umas orientações a respeito??

  2. Excelente linguagem!! Trabalho a um ano e meio programando em COBOL e é uma linguagem ótima. Não perde em nada para as linguagens “da moda”. Sem contar que a falta de profissionais faz o retorno ser muito bom!! Chutar uma moita sai 14 programadores Java, 09 PHP e 5 C##, agora programadores COBOL são raríssimas as moitas que têm. E esse cenário nunca vai mudar, a molecada sai da faculdade excitados com web e mobile, mas os grandes sistemas financeiros e empresariais provavelmente nunca vão mudar seus sistemas.

    • Oi StMarc boa noite, tudo bem??

      Então tu que trabalha na área de desenvolvimento e Cobol, seria possível tu me dar umas dicas de como adentrar neste mercado??

      Infelizmente eu não consigo muita coisa quando pesquiso ou procuro de alguma forma! :/

      Muito Obrigado!

  3. Voce fala como se algo feito na 94a melhor universidade do Canada e pra cima de 5000 em ranking global fosse algo de referencia e comportamento relevante. cheiro de falacia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s